Resultados – 6º Prêmio A3P

Prêmio Melhores Práticas da A3P é uma honraria nacional que se realiza desde 2009 e tem por objetivo reconhecer os projetos implementados, dar visibilidade às iniciativas e incentivar outros órgãos a aderirem à Agenda que tem se mostrado um importante e promissor instrumento de inserção da responsabilidade socioambiental na administração pública.

Até o ano de 2016, 68 projetos de todo o país já foram contemplados com o prêmio. E os números não deixam mentir: só nos projetos premiados de 2016, mais de 10 mil pessoas (entre alunos da educação básica, catadores, trabalhadores presos, professores, jovens aprendizes e alunos especiais) foram capacitadas para participar dos projetos; mais de 200 toneladas de resíduos receberam tratamento adequado e mais de 60 mil mudas foram plantadas.

Na cerimônia realizada no dia 26 de outubro de 2016, no Supremo Tribunal de Justiça, em Brasília, foram anunciados os ganhadores do 6° Prêmio de Boas Práticas A3P, que recebeu 90 inscrições de todo o Brasil.

Confira as fotos da premiação.

Em sintonia com a Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável da Organização das Nações Unidas, o Prêmio A3P mostra como diversos órgãos públicos estão desenvolvendo projetos inovadores em administração sustentável, iniciativas que trazem o que há de mais moderno na aliança entre tecnologia, sustentabilidade e gestão pública. Projetos que podem ser tomados como modelo no que diz respeito ao uso inteligente de recursos naturais e públicos, ao tratamento consciente dos resíduos gerados pelo serviço público e à garantia da qualidade de vida no ambiente de trabalho.

A diretora do Departamento de Produção e Consumo Sustentáveis (DPCS) do MMA, Raquel Breda, destaca que o prêmio é um estímulo para que a A3P construa novas parcerias: “como o programa é voluntário, depende da boa vontade das pessoas e das instituições, que aqui recebem um reconhecimento. O Prêmio vem para valorizar essa dedicação e mostrar a eles que fazem, sim, a diferença.”

PREMIAÇÃO
Elaborados pela designer capixaba Ana Paula Castro, do ateliê Oficina de Ideias, os troféus da premiação foram confeccionados em aço e madeira de reflorestamento, materiais de baixo impacto ambiental e foram inspirados em quatro árvores nativas da flora brasileira: buriti, castanheira, pau-brasil e ipê.

Composta por especialistas nas áreas de sustentabilidade, responsabilidade social e gestão ambiental, a Comissão Julgadora avaliou as iniciativas e deliberou os ganhadores, dispostos em quatro categorias distintas: Gestão de Resíduos, Uso/Manejo Sustentável dos Recursos Naturais, Inovação na Gestão Pública e Destaque da Rede A3P.

ÔNIBUS ELÉTRICO
O primeiro lugar na categoria Inovação na Gestão Pública foi concedido à Furnas Centrais Elétricas (RJ), pelo desenvolvimento científico-tecnológico de ônibus limpos para uso urbano, ou seja, ônibus que não produzam poluentes característicos dos veículos movidos a diesel, um subproduto do petróleo. Os três ônibus de tração elétrica, desenvolvidos pelo projeto, possuem conexão bidirecional com a rede elétrica, o que significa que é possível carregar seu sistema de armazenamento embarcado, fornecer eletricidade a um consumidor externo ou à própria rede; além disso, os ônibus foram equipados com um sistema que permite a conversão de energia cinética em energia elétrica, gerada em processos de aceleração e frenagem.

Menos poluição significa mais saúde para a população, melhor direcionamento dos recursos financeiros e menor impacto ambiental, pois, de acordo com estimativas, a substituição dos ônibus convencionais por ônibus elétricos representaria uma economia de até 600 milhões de reais por ano em gastos com a saúde, somente na Região Metropolitana do Rio de Janeiro.

MUDAS DO CERRADO
A Terracap (DF) recebeu o primeiro lugar na categoria Destaque da Rede A3P pelo projeto ‘Produção de mudas nativas do bioma cerrado utilizando mão de obra do trabalhador preso’, resultado da parceria entre a Agência de Desenvolvimento do DF (Terracap) e a Fundação de Amparo ao Trabalhador Preso (Funap). A iniciativa já produziu mais de 50 mil mudas, atuando na recuperação de áreas do cerrado degradadas em diversos pontos do Distrito Federal e também na reinserção do presidiário na sociedade, depois de cumprida sua pena, por meio da capacitação em técnicas de produção de mudas.

O projeto garantiu a renovação da parceria entre as duas instituições por apresentar resultados positivos: cidadania para o trabalhador preso e preservação das espécies nativas da flora do cerrado.

LIXO ELETRÔNICO E RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL
A Caixa Econômica Federal (DF) conquistou o primeiro lugar na categoria Gestão de Resíduos. Desde 2013, o projeto ‘Lixo Eletrônico e Responsabilidade Social’ é desenvolvido graças a cooperação entre o Fundo Socioambiental da Caixa (FSA Caixa) e o Instituto GEA-Ética e Meio Ambiente, indo além da destinação ambientalmente correta dos rejeitos, promovendo, também, a geração de renda para catadores de cooperativas, por meio de capacitação técnica e práticas comerciais. Em sua primeira fase, o projeto foi implantado em Brasília, Salvador, São Paulo e Recife. Os bons resultados possibilitaram a expansão do projeto para outras sete capitais: Belém, Belo Horizonte, Curitiba, Goiânia, Fortaleza, Rio de Janeiro e Porto Alegre.

A iniciativa resultou em saldo positivo para o meio ambiente: mais de 18 mil equipamentos foram destinados às cooperativa, além de cerca de 15 toneladas de carenagens; mais de mil equipamentos foram recolhidos nos postos de coleta para receber tratamento adequado e retornar ao ciclo produtivo e a capacitação de mais de 70 catadores propiciou a geração de recursos – um montante de R$221 mil –, colaborando diretamente com a expansão do comércio local. O projeto viabilizou o esvaziamento de aproximadamente 2000m³ de espaço em depósitos da CAIXA, o que significa mais qualidade e eficiência operacionais.

ESPUMA POR AR COMPRIMIDO
O projeto ‘Uso do sistema de espuma por ar comprimido no combate a incêndios classe A e B’ levou o Corpo de Bombeiros Militar do Distrito Federal (CBMDF) a conquistar o primeiro lugar na categoria Uso/Manejo Sustentável dos Recursos Naturais. O sistema, em desenvolvimento de pesquisa desde 2007, foi integrado às viaturas da frota de combate a incêndios do DF em 2013 e desde então é utilizado no combate a incêndios urbanos. A iniciativa promove o uso racional da água, uma vez que cada litro de água gera seis litros de espuma; otimiza o resfriamento na operação, reduz a poluição atmosférica, pois a espuma impede a liberação de gases tóxicos e reduz a poluição pluvial, já que a espuma se fixa aos materiais, permanecendo contida no local onde foi utilizada. Além disso, a espuma por ar comprimido é 100% biodegradável, decompondo-se em menos de 30 dias.

O sistema aumenta a possibilidade de salvamento de pessoas em locais de risco e protege os bombeiros durante as operações: tecnologia sustentável a serviço da vida e do meio ambiente.

Confira abaixo a lista dos vencedores do prêmio:

GESTÃO DE RESÍDUOS
1º LUGAR – CAIXA ECONÔMICA
Projeto: Lixo eletrônico e responsabilidade socioambiental;

2º LUGAR – FURNAS CENTRAIS ELÉTRICAS S. A. (RJ)
Projeto: Aplicação de baterias estacionárias de lítio-íon em sistemas de informação e comunicação de Furnas Centrais Elétricas S.A.;

3º LUGAR – PREFEITURA MUNICIPAL DE SÃO BERNARDO DO CAMPO (SP)
Projeto: Coleta seletiva e reciclagem no município de São Bernardo do Campo.

INOVAÇÃO NA GESTÃO PÚBLICA
1º LUGAR – FURNAS CENTRAIS ELÉTRICAS S. A. (RJ)
Projeto: Desenvolvimento e testes de ônibus urbanos com tração elétrica;

2º LUGAR – JARDIM BOTÂNICO DO RIO DE JANEIRO (RJ)
Projeto: Rede Rio de Sustentabilidade;

3º LUGAR – PREFEITURA MUNICIPAL DE RIO CLARO (SP)
Projeto: Olimpíadas ambientais – Atitudes que podem mudar o nosso rumo.

USO/MANEJO SUSTENTÁVEL DOS RECURSOS NATURAIS
1º LUGAR – CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DO DISTRITO FEDERAL (DF)
Projeto: Uso do sistema de espuma por ar comprimido no combate a incêndios classe A e B;

2º LUGAR – CASA DA MOEDA DO BRASIL (RJ)
Projeto: Reflorestamento voluntário para neutralização das emissões de Gases Efeito Estufa;

3º LUGAR – PREFEITURA MUNICIPAL DE SÃO BERNARDO DO CAMPO (SP)
Projeto: Agenda Municipal de Sustentabilidade: recursos naturais.

DESTAQUE DA A3P
1º LUGAR – TERRACAP – AGÊNCIA DE DESENVOLVIMENTO DO DISTRITO FEDERAL
Projeto: Produção de mudas nativas do bioma cerrado utilizando mão de obra do trabalhador preso;

2º LUGAR – DATAPREV – EMPRESA DE TECNOLOGIA E INFORMAÇÕES DA PREVIDÊNCIA SOCIAL (RJ)
Projeto: Programa “Jovem aprendiz” como instrumento de inclusão social;

3º LUGAR – PREFEITURA MUNICIPAL DE POMPÉU (MG)
Projeto: Políticas públicas sustentáveis – a inserção da energia fotovoltaica na Administração Pública Municipal.

 

hotsite